segunda-feira, 3 de outubro de 2011

Compreensão Cultural



Às vezes me pergunto em como desobstruir a inteligência e adquirir sapiência não só em determinados assuntos, mas globalmente despertando aquela sede de aprendizado constante. Nos sentimos atraídos pela capa mas não no conteúdo, como se a intelectualidade fosse algo ultrapassado mas que evidentemente continua forte, vivemos num ciclo onde todas as passagens ou momentos históricos de alguma maneira se repetem e refletem.

Ainda somos conservadores de pensamentos e escravos da sociedade rotineira perturbada por paradigmas sociais e existenciais.

Após muito pensar, percebo que estamos presos e somos reféns de nossos sentidos, emoções, razões e aquele que se liberta consegue raciocinar intelectualmente e sofisticamente fugindo do aprisionamento interno e ditatorial em que os pensamentos são expostos, compreendendo de alguma maneira e subliminarmente o mundo em sua forma plena.

quinta-feira, 7 de julho de 2011

Ele simplesmente é meu irmão

Nosso irmão pode não necessariamente ser aquele de sangue e sim um estranho que conhecemos e conquistamos durante a longa estrada da vida. Algumas histórias são emocionantes e ao mesmo tempo fascinantes como a que vemos abaixo onde virou titulo de uma música e inspiração para o grande Bill Medley.


"A música "He ain't heavy, he’s my brother", interpretada pelo conjunto "The Hollies", foi composta em 1969 e inspirada num fato ocorrido na entidade "Missão dos Órfãos", em Washington, D.C.
A história conta que, certa noite, durante uma forte nevasca, na sede da entidade, um padre plantonista ouviu alguém bater à porta. Ao abri-la, ele se deparou com um menino coberto de neve, usando poucas roupas, e carregando em suas costas um menino mais novo. A fome estampada no rosto, o frio e a miséria dos dois comoveram o sacerdote, que os mandou entrar e exclamou:
- Ele deve ser muito pesado!
E ouviu do menino:
- Ele não é um peso, ele é meu irmão. (He ain't heavy, he’s my brother).
Não eram irmãos de sangue. Eram irmãos da rua.
E dessa frase fez-se o refrão da música, composta por Bill Medley.
Esses dois meninos foram adotados pela instituição."

Trecho retirado da seguinte página da web.
http://www.tudoqueeuquiserpostar.com.br/2011/06/he-aint-heavy-hes-my-brother-hollies.html


terça-feira, 14 de junho de 2011

Humanidade

Estamos vivendo perversamente, cheio de mágoas, tristezas e uma falsidade fora do comum. A falta de caridade, injustiças sociais e excesso de ambição do poder nos levam a um declínio comportamental resultando em uma sociedade espiritualmente fraca onde a soberba e arrogância querem dominar e atualmente estão vencendo com larga vantagem.

Temos a razão e isso nos diferencia dos animais, porém estamos mais irracionais que os mesmos e agindo por instinto sem ao menos pensar nos motivos de estarmos tomando tal atitude naquele momento.

Compartilho este vídeo que foi utilizado para sensibilizar e demonstrar o caminho que a humanidade está seguindo...


video

sexta-feira, 4 de março de 2011

Momentos



Existem fases ou acontecimentos em nossas vidas que podemos descrever como "momentos", e eles não são fáceis, podendo ser bons ou ruins mas com certeza de muito aprendizado. Lembro-me de cada um, como se fosse agora, dos amigos que conquistei, das situações que passei fortalecendo minha experiência como pessoa e principalmente ser humano.

Alguns são decisivos, outros solitários, e nem sempre estamos lúcidos ou em equilíbrio para enfrentá-los. Em alguns segundos podemos decidir nosso destino, caminhos a seguir passando de heróis a vilão em momentos que podem ser eternos ou passageiros.

Não há nada melhor que dividi-los com quem amamos e sentimos um carinho, pois eles se tornam ainda mais especiais...

quinta-feira, 3 de março de 2011

Olhar



"O olhar é mais do que simplesmente ver, existe um sentido que pode ser algo revelador, é uma linguagem forte, provocativa e carregada de mistério. Nos deparamos com diversos olhares, o de rejeição que distancia o diálogo, o atraente que cativa e envolve, o esperançoso de algum milagre repentino, o inocente repleto de sinceridade e ingenuidade, o indiscreto que revela obscuridades íntimas, o malicioso que semeia maldade, o displicente que acaba por esquecer a presença do outro, o intolerante que age em conseqüência da fraqueza ou falta de estima de quem o observa, o de sofrimento decorrente das armadilhas da vida, o mesquinho e egoísta que fazem aflorar a arrogância destemida, o apelativo suplicando compaixão, o desesperado por algo que não tem mais volta, o tirano fazendo da opressão seu objetivo traçado, o encolhido que se demonstra amedrontado quando desafiado.

E existe aquele que vejo todos os dias, o melancólico que parece rogar carinho, atenção e ao mesmo tempo querer estar longe de um contato seja próximo ou distante, onde o desejo é apenas refletir, usando a criatividade que lhe foi adquirida após adversidades e experiências utilizando uma espiritualidade única e consistente que acabou sendo inspiradora no aspecto relação, proximidade, desejo e autoconhecimento."

Trechos do livro ESTRADEIRO de Juvenal Arduini - Edições Paulinas.

segunda-feira, 7 de fevereiro de 2011

Pedaço do Mundo

Vendo as imagens, percebemos friamente que somos insignificantes diante deste universo grandioso. Será que não é uma certa arrogância achar que estamos sozinhos no mundo e desconsiderar o que pode existir?

Somente em nosso planeta são tantos problemas que não conseguimos mensurar e abstrai-los. Talvez se pudéssemos interagir com outras civilizações poderíamos entender certas situações e atitudes, pois algumas devem ser mais desenvolvidas e outras menos que nós, simples e estúpidos humanos!!!

Para aqueles que se acham o centro do mundo, dedico este post...









sexta-feira, 4 de fevereiro de 2011

Marcas do Tempo




Estava viajando naquele saudosismo que teima em aparecer e fica martelando em nossa memória. Isto pode ser visto como uma fuga ou viver do passado, mas que é uma delícia lembrar momentos marcantes sem dúvida que é.

Dizem que o conhecimento adquirido ninguém tira mas a memória também não. As coisas que você aprendeu, lidou, brigou, chorou, festejou ficam guardadas e algumas trancafiadas em um cofre imaginário bem lá no fundo!!!

Muitas situações do presente que parecem sem soluções ou que tenham surgido sem motivo aparente podem ser uma extensão do passado. É sempre bom refletir, ter autocrítica e ser suficientemente humilde na hora do questionamento próprio e interno. As respostas perante adversidades podem estar bloqueadas pelo acentuado egocentrismo.






sábado, 15 de janeiro de 2011

Falta de Humanidade



Uma tristeza toma conta, águas enchem as cidades como se estivessem enfurecidas, será que fizemos algo? Claro que sim!!! Causamos sofrimento a natureza todos os dias e ela nos responde a altura com grandes catástrofes. Todo ano a mesma história, cenas deprimentes, comoventes que são sempre anunciadas.

O nosso "querido" governo discutindo aumento dos próprios salários, numa votação ridícula, sem fundamentos com uma crescente exorbitante fora da realidade e o salário mínimo alguns 30 reais suficientes, menosprezam e demonstram falta de interesse em projetos realmente necessários para o desenvolvimento humano e social.

Morrem mais pessoas no Brasil que em algumas destacadas guerras!!! Situação absurda, onde é impossível não sentir um vazio, compaixão pelas pessoas desamparadas.

Esta foto foi tirada após a enchente em Teresópolis/RJ, onde o cachorro Leão, permanece ao lado de sua dona.

quarta-feira, 12 de janeiro de 2011

Abstraindo Sentimentos



Quando se fala em amor logo vem a dúvida em relação a paixão. Existem diferenças entre ambas. A paixão é algo intenso, forte, eufórico, estrondoso e obviamente maravilhoso porém passageiro e na hora que ocorre essa transição o amor fica mais forte deixando tudo mais calmo, singelo, meigo, porém quando isso não ocorre a paixão gera frustração, dor, destruição momentânea de algo que estava na plenitude de uma felicidade abstrata. Esta dissociação incompleta ocorre frequentemente podendo ser com qualquer pessoa dependendo do estado psicológico em que cada um iniciou esta aproximação avassaladora.

Passando desta etapa transitória existe o recomeço que podemos denominar de um relacionamento mais consistente com um conhecimento mais profundo do "outro".

Como somos diferentes, começam as disavenças, situações de constrangimentos, discordância mútua. Por isso devemos respeitar as opiniões e privacidades de quem estamos juntos.

Não confundir o amor com possessividade, nascemos sozinhos e temos nossas individualidades, sem isso acaba nascendo o sofrimento na relação onde a mesma pessoa deve ceder sempre sem muitas vezes entender o que está acontecendo.

Mais um distúrbio na relação é quando não olhamos para outra direção ficando em um mundo completamente solitário e dependente de alguém que muitas vezes nos parece um estranho. Como consequência acaba-se por não ver quem está ao seu lado, deixando aqueles companheiros de velhas "batalhas" ao vento como se nunca tivesse existido um passado naquelas loucuras que fizemos tantas e tantas vezes.

O amor acontece sem perceber, não precisa buscá-lo ou forçá-lo a alguém, e quando sentimos não há motivos para não extravasar, exagerar. Faça o que quiser e sinta-se livre para quem deseja, e não se preocupe com que este ou aquele dirá, porque com certeza a falta de exagero surge dos que não amam o suficiente para entregar-se ao deleite de um momento único!!!

sábado, 8 de janeiro de 2011

Ilusão Viciosa

Em uma globalização excêntrica, tivemos avanços tecnologicamente extraordinários, mas não podemos esquecer do desenvolvimento humano, aquele em que refletimos e analisamos nosso próprio modo de pensar e agir salientando a importante questão de aprender e aprimorar do que é saber ver quem está ao redor, seja um parente, amigo ou um desconhecido. Não há nada mais prazeroso do que notar e ser notado por qualquer tipo de ação mesmo sendo um simples e sincero sorriso. Compartilho este vídeo sobre um cotidiano cada vez mais presente.